Juntos na Festa dos Cromos – Somáticos. Parabéns!

7 Dezembro, 2017

Essencialmente somos cinco: 46 + 23 + convidados e você – caro leitor.

Publique-se no “Diário de Bordo” e torne esta notícia pública. Ponto final – parágrafo.

O colorido irradia nas colinas e observamos desde as planícies, a neve cristalizada que se derrete, oceanos que se beijam e a imensidão infinita do finito visual do espaço – de modo igual, podemos sentir que se renovam as esperanças para a realização de novos desafios e grandes conquistas ou alucinações.
O cromo 46 faz-se presente e incessantemente cava e tenta desvendar as camadas de valência.

Sabemos que hoje é um dia especial – como todos os outros.
Houve uma colisão de corpos, o 46 se manifesta e o 23 ganhou o choque – quem foi e quem será – será!

O som geometrizou e testemunhou as interjeições – selos de autenticidade e prazo de validade.
A magia dos sentidos estimula desejos que despertam sensações e novos sons, que geometrizam e geram interjeições – essência da magia mágica do 46 – criteriosamente o 23 é o cromo de uma marca sem igual – fruto do resultado da explosão da minha e a tua papila.
Bendito 46 e luz sejais 23!

No ar, o vento espalha letras, números e símbolos, que somente cada qual pode colher e interpretar – progressivamente, o 23 se apercebe que ninguém pode respirar por ninguém.

Como a água do poço dissolve as mágoas e a discriminação – na herança lavrada, o conteúdo se transforma – as feridas da pele e do coração se desvanecem e por fim – o fim também é especial para se libertar da futilidade e da incerteza.

As adversidades, o reconhecimento e a maturidade, que promovem o frio e o calor – um mundo de sabedoria expetante e brilhante.

Clique em reiniciar e um novo ciclo surge no ecrã do horizonte – agora mais apetecível, porque sabe distinguir o sal e o açúcar – descobriu, que se partir um íman, ele continuará a ter sempre dois polos.

Simplesmente, fruía da natureza concebida e geometrizada – deixe-se deslizar nos campos magnéticos e nunca questione sua grande capacidade de superação.

Na rota da colisão, novas interjeições e novos cromos se avizinham – que esperais para ver, sentir e tatear.

O 46 fez 23 interjeições bem percetíveis!

Na verdade dos olhos da lei – apenas sabemos que foi um daqueles 360 e tal dias, em que dois corpos se cruzaram e os desejos se desprenderam.

O intrínseco se manifesta na reciprocidade.
A sintaxe e a semântica não interferem na explosão dos desejos do 46.
Da magnitude da interseção segue a viagem da evolução até à suposta expiação.
Hoje, o 23 é o centro das manifestações!
Durante o percurso seguem-se alegrias, abrações e felicitações.

Após a involução os desejos rodopiam e voltam a colidir e um novo cromo pode advir.
Estão eternamente ligados – eu existo!
Eu faço história, com a história de um daqueles dias, que hoje é o nosso dia!
Ao descobrirem o nosso dia – recebemos e retribuímos expressões e bendições!

Que prevaleça a valência de uma existência condimentada e colorida.
Os cromos se juntam – é data vinculativa dos polos em festa.
Uma combinação de desejos, caprichos ou profanação é sinal de expressão e vinculação.
Ao cromo 23 lhe resta a manifestação de um sorriso de esperança e confiança!

Deixe-se embrenhar no som, na luz e nas cores dos sonhos!
Felicidades! Saúde, paz e amor, hoje e sempre!

 

Ao partilhar a minha página, está a partilhar expressas emoções – grato!

Ver Mais Surpresas

 

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *