Adeus Ano – Feliz Maturidade

7 Dezembro, 2017

        É com um vasto agrupamento de sinónimos e antónimos, que nos despedimos de 2017 – o futuro chama-se “Boas Festas e Feliz Ano Novo” a todos os cidadãos do mundo da Era Aquariana – a Era da imprevisibilidade!

        Segundo, apurei de fontes próximas da Casa do Pai Natal – Palacete da Lapónia – uma nova consciência sociológica se impõe, de forma tal, que o respeito e o livre-arbítrio se fundamentam numa ideologia de maior justiça e liberdade – Democracia. Uma das fontes, que pediu anonimato, salientou: “… tudo, fruto da exigência de muitos autores-escritores, que exigem aos pais e aos governantes um programa de educação e instrução, menos vinculativo às crenças – maior transparência e de linguagem universal – formação emocional, de igual modo que a mésica e a música”.

        Aos trabalhadores, aos doentes, aos reclusos e a todos os que se debatem pela paz e igualdade de direitos, e os que protegem a Natureza e o respeito pelos animais, que a luz e o oxigénio penetrem na escuridão e no vazio!

        Tempo de inovar, tempo de ler mais e melhor, tempo para renovar a esperança e a confiança!

  Aos governantes, aos pais, aos professores, aos promotores da justiça e da cultura – todos e sem exceção, recebam o respeito e os dons, para uma gestão equitativa e com base na tolerância, transparência e reciprocidade do respeito e do cumprimento, e em especial, que vise combater os desejos mórbidos da fornicação, da corrupção, da fome, do analfabetismo, das diferenças – da discriminação, dos conflitos e a guerra.

         O maior inimigo dos tiranos e predadores – é um povo que lê!

        Patrocino um Estado Laico – onde cada qual goze do seu livre-arbítrio, num conjunto de regras e leis estabelecidas a partir de conceitos humanitários – ideológicos, religiosos e ambientais, assente no respeito universal entre maiorias e minorias, e que vise essencialmente o respeito pela dignidade, a prosperidade e o direito de oportunidade.

        O Homem moderno – o homem que lê, o homem que evolui, não contabiliza a riqueza «económico-financeira», sim questiona a capacidade e saberes, alicerçados na literatura universal – fonética e escrita – interpretação.

        A essência do essencial para a promoção de valores que conduzem à felicidade – O PODER DOS LIMITES – CONSCIÊNCIA DA TRANSFORMAÇÃO E EXPIAÇÃO.

        Devo alertar, que o consumo compulsivo ou abusivo de bens, letras, números e imposições, podem conduzir a transtornos nocivos e irreversíveis – a quem use esta «aplicação – modus-operandi», recomendo ponderação e moderação – o imprevisível também é previsível, numa sociedade cada vez mais livre, mas mais competitiva e invejosa.

        Juntos, vamos exigir e comungar uma aliança assente na formação emocional – liberdade, paz, amor e prosperidade.

        Nascemos nus, e a maioria tem a sorte de partir agasalhada e aconchegada.

        Simplesmente exijo a todos uma existência mais reflexiva e ilustrativa.

        Aos que foram eleitos para lerem esta mensagem, um pequeno gesto – digne-se de partilhar.

        Paz, amor e prosperidade do vosso autor predileto.

        Feliz Natal e Próspero Ano Novo. Gratidão eterna!

        Em meu nome e em nome de todos – Obrigado «MENINO» por existires e nos compreenderes como a “MENINA”!

Manuel António Rocha

 

Ao partilhar a minha página, está a partilhar expressas emoções – grato!

Ver Mais Surpresas

 

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *